Tiago Gualberto (1983) é artista visual, educador e pesquisador. Mestrando em Artes Visuais na ECA/USP, iniciou seus estudos na Escola de Belas Artes da UFMG, onde também foi bolsista do programa de Ações Afirmativas. Possui bacharelado em Tecnologia Têxtil e Moda pela EACH/USP. No ano de 2009, foi finalista Mundial do Concurso de Criação de Padronagem para produção de Furoshiki (tecido de embrulho tradicional japonês) promovido pela Fundação Japão/Tóquio e Ministério das Relações Exteriores do Japão. Além de 6 mostras individuais, Gualberto já participou de mais de uma dezena de mostras coletivas em instituições brasileiras, como a coletiva Nova Mão Afro-brasileira, no Museu Afro Brasil, em 2012. Nesta instituição atuou como pesquisador de conteúdos entre os anos de 2015 e 2017. No exterior, participou de diversas mostras coletivas como a Bienal de Valença: Encuentro entre dos mares, na Espanha, em 2007 e AfroBrasil:  Art and Identities, no National Hispanic Cultural Center, em Albuquerque, nos EUA, em 2015. Foi bolsista no Tamarind Institute, integrado a New Mexico University durante o programa Afro: Black Identity in America and Brazil, em 2012. Neste mesmo ano se destacou como finalista da categoria Artes Visuais do Programa Nascente, promovido pela Pró-reitoria de Cultura e Extensão USP e, em 2015, foi um dos finalistas da Bolsa Funarte de Fomento aos Artistas e Produtores Negros, o maior prêmio governamental destinado a artistas afro-descendentes no Brasil. Sua formação e atuação transdisciplinar inclui temas relacionados a arte contemporânea brasileira, ações comunitárias e a história de populações afrodescendentes.