Escolha uma Página
João Alves

João Alves

é diretor, ator, iluminador e professor de teatro. Graduado em Licenciatura em Artes-Teatro pelo Instituto de Artes da UNESP. É um dos fundadores da Cia de Teatro Nóis na Mala e do Coletivo Multimídia Casa da Girafa. Também investiga formas de compartilhar ideias através da escrita.

“João Alves, ou Joãozinho, como carinhosamente é apelidado, foi um parceiro fundamental nos registros audiovisuais do projeto Lembrança de Nhô Tim, sendo responsável por parte da captação de imagens fotográficas e em vídeo. Atividade vinculada ao registro de ações performáticas, entrevistas e registros documentais. João também foi responsável pela produção e edição de uma série de vídeos, como é possível ver nesta página, onde é veremos os relatos dos moradores do Bairro Resplendor participantes das intervenções. Sua parceria incluiu visitas a inúmeros locais, tanto em São Paulo quanto as áreas de mineração em Igarapé. Um importante parceiro nesta aventura capaz de cruzar desde o Cemitério do Bairro Resplendor a BR-381!”

 

João Alves (DRT: 31.683/SP) é ator e diretor de teatro e vídeo, iluminador e professor de teatro natural da cidade de Tietê-SP. Cresceu em Botucatu-SP onde ingressou na Quadrilha de Teatro Notívagos Burlescos em 2004, atuando nos seguintes espetáculos: Crônicas de um Assassino Crônico(2008-2014), Fidélis(2013), Ana Rosa(2006) e Zero, Círculo ou Ó (2004) com a Quadrilha de Teatro Notívagos Burlescos sob a direção de Robert Coelho. Muda-se para São Paulo em 2006 graduando-se em Licenciatura em Artes-Teatro pelo Instituto de Artes da UNESP em 2010. Em sua formação teve nomes como Cibele Forjaz, Iluminação, Mário Bolognesi, Treinamento de Circo; José Tonezzi, Preparação de ator para montagem da peça “Ana Rosa”; Alexandre Mate e Grupo Canhoto, Expressionismo- uma radiografia; Luis Carlos Laranjeiras, Teatro da Roda Dança; Bri Fiocca, Interpretação; Julio Pompeu, Dramaturgia; Reginaldo Nascimento, Direção Teatral. Em São Paulo trabalhou como assistente de direção em Elevador – porcos não olham para o céu (2007), direção de Robert Coelho e atuou no espetáculo História de amor – teatralização de uma narrativa (2008) coordenação de Berenice Raulino. Em 2010 fundou junto com Bruno Cordeiro a Cia de Teatro Nóis na Mala e atua no espetáculo Respira com o Grupo Conexión Latina sob a direção da artista mexicana Carla Lorena Bauche. Co-dirigiu o infantil Uma Jornada de João e Maria (2012) e dirigiu os curta-metragens Brasil(2013), Sunday (2014) e Vote Carlos Drummond (2014). Também desenvolveu projetos de educação, voltados ao universo do teatro e da contação de histórias, em escolas públicas, projetos sociais e institutos culturais de 2007 até os dias atuais. Atualmente dedica-se à pesquisa de comicidade popular, contação de histórias e teatro de rua na Cia de Teatro Nóis na Mala e na articulação do trabalho das Produtoras Jovenart e Casa da Girafa.